Rei Caverna – Voo de 83km em Vila Valério

Iniciei o Ano de 2009 com um objetivo: fazer um vôo de cross em vila Valério, depois de 4 viagens com vôos variados, merrecas no carrapato, entre algumas tiradas para a cidade. Mas ainda não tinha alcançado o meu objetivo inicial.

 

Visão da Rampa de Vila ValérioNa sexta feira antes do inicio do Campeonato Capixaba de Voo Livre (CCVL 2009), chegamos na Rampa do Veinho, para um treino. Porem o dia prometia, Eduardo Baldi (Atual presidente da FCVL), abriu o dia, com decolagem e com muita dificuldade, infelizmente ele merrecou, mas nós na rampa, preparados e analisando os cicloAntena na Rampa de Vila Valérios, foi ai que surgiu um coluna de urubus, saímos ao encontro deles. Milton Vilela (Omega 7), Julio Afro (Sigma 6), Gilberto – Zé Gotinha (Omega 6) e eu – Rei Caverna (Synergy 3), engatamos na única termal e  fomos a mais de1.600 mts, partimos no sentido 175º. Mas ainda existia um grupo grande de pilotos prontos na rampa e analisando as condições para saírem também no esperado vôo de cross. Éramos cerca de 15 pilotos.

 

Anos anteriores tentei algumas rotas, voando 33 km, 42 km, porem nesta saída, Milton e Julio estavam voando num ciclo a frente, tentei basear minhas decisões nas leituras dos instrumentos, consegui achar o melhor L/D do meu equipo, e tracei então uma rota. Recordei que anos atrás Ari Rosa já havia voado nesta mesma rota, então tive certeza que naquela condição poderia alcançar um bom vôo.

 

Entrando e Saindo das Nuvens - um voo que nunca esquecereiApós voar mais de 40 km, já ultrapassando meu recorde, vislumbrei a condição de varetar uma nuvem a mais de 1900 mts de altitude. Ao ultrapassa-las comecei a visualizar ilhas de nuvens, onde foi um dos momentos mais prazerosos do voo.

 

Fotos de Lucas IzotonChegando próximo ao município de Marilândia, já havia alcançado o Milton em vôo. Daí pra frente iniciou-se uma nova fase do vôo.

 

Então Milton, reportando ao radio, perguntou: seguir a rota para Colatina, ou atravessar as montanhas de Patrão Mor, seguindo para o Rio Doce. Mas no dia, a decisão era fazer o máximo de kms possíveis para o XC, e não recuar numa rota com vento de través. Então disse ao Milton, vamos jogar em cima dessas montanhas. Daí partimos para mais uma experiência incrível no vôo.

 

Sobrevoei o Rio Doce pela primeira vez, ao chegar próximo a São Gabriel de Baunilha, o vento entrou de frente, impossibilitando continuarmos nesta rota.Decolagem

 

Reportei ao Milton, perguntando se ele estava voando sobre uma área de jazida de granito, onde ele respondeu que a jazida estava sombreada. Daí disse que próximo a ela havia uma área boa pra pouso. Ai então seguimos a esta área. Ao iniciar o procedimento de pouso, fiz com total segurança, pois já conhecia a propriedade, onde havia vivido toda minha infância (isso tem tempo!!!). Com avanço de 1 km/h (GPS), pousamos dentro da propriedade de Geraldo Batismo, meu Tio.

 

Fomos recepcionados pelos meus primos, e onde tudo virou festa.

 

Resgate: temos que agradecer ao Mauricio (Gatinho) e Gilberto (Zé Gotinha) que rodaram aproximadamente 140 km para nos resgatar. Chegaram com muita fome, e entraram na festa. Gatinho que o diga (pois comeu umas 5 galinhas).

 

Agradeço ainda ao Milton, por ter compartilhado de sua experiência para alcançarmos este excelente vôo.

 

 

Reinaldo Batista Filho – Rei Caverna – 102-G

Sol Synergy 3 – Amarelo

Serra – ES

 

 

Videos no Youtube do Voo de Vila Valério a Baunilha – ES:

Video 1:

 

 

Video 2:

 

 

Album de Fotos de Thiago Izoton: Clique aqui.

Fotos de Thiago Izoton